ARACRUZ prevê investir US$3,5 bilhões em 5 anos

A Aracruz, maior fabricante mundialde celulose braqueada de eucalipto, investirá 3,5 bilhões dedólares em projetos de expansão nos próximos cinco anos. Os recursos serão usados para a compra de terras, plantaçãode florestas, novas fábricas e infra-estrutura, segundocomunicado da empresa. Nesta sexta-feira, a companhia divulgou que teve lucrolíquido de 187 milhões de reais no quarto trimestre, queda de36 por cento contra igual período de 2006. A geração de caixana mesma base de comparação caiu 9 por cento. Apesar do aumentodo volume de vendas e do preço da celulose, a valorização doreal impôs queda à receita trimestral da empresa. No acumulado de 2007, o lucro foi de 1,04 bilhão de reais,resultado que se compara ao ganho de 1,15 bilhão de reais em2006. A receita líquida no ano passado ficou estável em relaçãoao exercício anterior, em cerca de 3,85 bilhões de reais. Pelo plano de investimentos, a unidade Guaíba, no RioGrande do Sul, passará a produzir 1,8 milhão de toneladasanuais de celulose, com inauguração de uma nova linha deprodução em 2010. Atualmente, a capacidade nesse local é de 500mil toneladas. A Veracel, joint-venture com a finlandesa Stora Enso naBahia, também se prepara para a construção de nova fábrica, comcapacidade para 1,4 milhão de toneladas ao ano, das quais 700mil ficarão com a Aracruz, com início da operação previsto para2012. Os dois projetos ainda precisam passar pelo Conselho deAdministração. O primeiro deve constar na pauta do primeiroencontro em 2008, enquanto o segundo deverá ser analisado até2009. "A empresa já investiu cerca de 300 milhões de dólares nacompra de terras e na formação de florestas para os doisprojetos", informou a Aracruz em um comunicado à imprensa. Depois de produzir 3,10 milhões de toneladas de celulose em2007, a meta da Aracruz é atingir 3,32 milhões este ano. Segundo a Aracruz, os fundamentos entre oferta e demandacontinuam positivos no mercado de celulose. "A disponibilidade de celulose de mercado continua restritaem toda a cadeia de distribuição. O total de estoque em poderdos produtores fechou novembro em 29 dias de oferta, sendo afibra longa em 27 dias e a fibra curta em 32 dias", de acordocom a empresa. Como de costume, a Aracruz abriu a temporada de divulgaçãode balanços das empresas listadas na Bolsa de Valores de SãoPaulo. (Reportagem de Cesar Bianconi; Edição de Vanessa Stelzer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.