REUTERS/Ahmed Jadallah
REUTERS/Ahmed Jadallah

Saudi Aramco faz maior abertura de capital da história

Com fixação do preço das ações em US$ 8,35, petroleira estatal saudita consegue US$ 25,6 bilhões por uma fatia de 1,5% da empresa, superando os US$ 25 bilhões da chinesa Alibaba

Reuters

06 de dezembro de 2019 | 04h00

A oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da petroleira estatal Saudi Aramco promete ser a maior da história, embora fique significativamente aquém da avaliação de US$ 2 trilhões há muito procurada pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman.

A Aramco precificou sua abertura de capital a 32 rials (US$ 8,53) por ação, o topo da faixa indicativa, disse a empresa na quinta, 5, em um comunicado, levantando US$ 25,6 bilhões com a venda de uma fatia de 1,5% da empresa e superando a então listagem recorde da chinesa Alibaba, que em 2014 movimentou US$ 25 bilhões.

Com isso, a Aramco registrou uma avaliação de mercado de US$ 1,7 trilhão, ultrapassando com folga a Apple como empresa listada mais valiosa do mundo. A listagem é  esperada para o final deste mês na Bolsa de Riad. 

A Arábia Saudita contou com investidores domésticos e regionais para vender uma fatia de 1,5% da companhia após interesse morno do exterior, mesmo com a avaliação reduzida.

Mais cedo, fontes disseram à Reuters que a Aramco ainda pode exercer uma opção de “greenshoe” (oferta de lote complementar de ações) de 15%, o que permitiria que o negócio fosse elevado para um valor máximo de US$ 29,4 bilhões.

A precificação ocorre em um momento em que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) se prepara para aprofundar cortes na produção da commodity para apoiar as cotações do produto. Um acordo deve ser celebrado pelo grupo com aliados, como a Rússia, ainda nesta semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.