Arcelor Mittal entrega mais documentos para análise da CVM

A Arcelor Mittal encaminhou na quinta-feira à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) os novos documentos exigidos pela autarquia para analisar a oferta pública de aquisição das ações dos minoritários da Arcelor Brasil. Foram entregues a demonstração justificada do preço, o edital de oferta e um laudo de avaliação da Arcelor Brasil feito por Goldman Sachs International e Goldman Sachs Representações Ltda.Segundo informações do laudo do Goldman Sachs, "a indicação do valor econômico por ação para a Arcelor Brasil foi calculada dividindo-se o valor econômico pelo número de ações da Arcelor Brasil, excluindo-se as ações em tesouraria". Pelos cálculos do Goldman Sachs, chegou-se ao valor econômico para a Arcelor Brasil mínimo de R$ 23,292 bilhões e máximo de R$ 27,704 bilhões. O valor econômico mínimo por ação foi apontado como R$ 35,97, enquanto o máximo foi de R$ 39,69.O documento do Goldman Sachs tem data de 25 de outubro. No sumário do documento, o Goldman Sachs informa que o laudo de avaliação "foi elaborado com base na metodologia de fluxo de caixa descontado, presumindo um cenário macroeconômico estável para o Brasil". A data base utilizada para a avaliação é 30 de junho de 2006 e "o horizonte de projeção compreende o período de 2006 a 2015".A nova versão do documento que trata da demonstração justificada do preço é mais detalhada que a apresentada em 25 de outubro, apresentando tabelas não incluídas na versão anterior, por exemplo, a respeito das participações minoritárias na Arcelor. As novas exigências à Arcelor Mittal em relação à oferta de aquisição das ações dos minoritários da Arcelor Brasil foram feitas pela CVM em 27 de novembro. A CVM terá 30 dias para realizar a análise dos documentos entregues na quinta. Neste prazo, decidirá se fará o registro da oferta ou se apresentará novas exigências. Caso a autarquia faça outras solicitações, a Arcelor Mittal terá 15 dias para se manifestar.Segundo a companhia, tanto na compra das ações da Arcelor na Europa quanto na oferta pelos papéis dos minoritários da Arcelor Brasil, o cálculo foi feito por meio do múltiplo EV/Ebitda de 5,5 vezes. Com isso, chegou-se a 12,11 euros por ação. Nesta sexta-feira, a Arcelor Mittal informou sua posição oficial por meio de sua assessoria de imprensa: "A Arcelor Mittal revisou atentamente os comentários e preocupações levantados pela CVM e arquivou suas respostas em documento enviado ontem - dia 11 de janeiro - à autarquia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.