Arcelor Mittal prevê primeiro trimestre forte

A Arcelor Mittal, a maior siderúrgica do mundo, previu nesta quarta-feira, 21, que poderá manter os lucros do primeiro trimestre no mesmo nível do final do ano passado, apesar das condições irregulares do mercado. Em seu primeiro balanço anual depois da aquisição da Arcelor pela Mittal Steel, no ano passado, o grupo também divulgou um lucro nos negócios principais de US$ 15,3 bilhões, um pouco abaixo da expectativa do mercado, mas em linha com sua própria previsão. "Olhando para a frente, o mercado está estável e prevemos que a performance do primeiro trimestre de 2007 estará em linha com os níveis do quarto trimestre de 2006", disse o presidente da companhia, Lakshmi Mittal. Em slides preparados para uma coletiva de imprensa nesta manhã, a companhia reiterou que espera um aumento indeterminado nos lucros de 2007. Analistas ouvidos pela Reuters haviam previsto um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) de US$ 15,4 bilhões em 2006. A empresa havia dito anteriormente a investidores que via lucros entre 15,2 bilhões e 15,4 bilhões de dólares. A Arcelor Mittal afirmou que o lucro nos negócios principais no primeiro trimestre será entre US$ 4 bilhões e US$ 4,2 bilhões, semelhante ao obtido no último trimestre de 2006, quando registrou US$ 4,12 bilhões. "Os números estão exatamente em linha com as minhas expectativas. O que eu acho muito positivo é a perspectiva para o primeiro trimestre", disse a analista Jutta Rosenbaum, do Commerzbank, em Frankfurt. "No último ano, o Ebitda foi de US$ 3,3 bilhões, e a previsão agora é entre US$ 4 bilhões e US$ 4,2 bilhões, o que é um aumento muito claro apesar (das fracas condições do mercado) da América do Norte. Isto confirma minha visão positiva da companhia", afirmou. A Arcelor Mittal disse que ainda está revendo suas opções em como atender aos reguladores brasileiros, que exigem um aumento no preço a ser pago aos acionistas locais após a fusão. A Arcelor Mittal, que planeja se tornar uma única entidade legal em julho, tem aproximadamente três vezes o tamanho de sua maior rival, com produção anual de mais de 100 milhões de toneladas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.