ArcelorMittal vai produzir mais minério

Grupo siderúrgico prevê aumentar sua produção própria de minério de ferro em mais 10 milhões de toneladas

, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2010 | 00h00

LONDRES

A ArcelorMittal, maior siderúrgica do mundo em volume e receita, vai aumentar a produção de minério de ferro em mais de 10 milhões de toneladas este ano, por causa principalmente da retomada de algumas operações e do crescimento do capital.

A companhia foi autossuficiente em cerca de 60% de suas necessidades de minério de ferro em 2009, ajudada pela produção mais baixa de aço.

O aumento de sua produção de minério virá da expansão na Ucrânia, de uma revitalização dos negócios no México, do aumento de 1 milhão de toneladas da produção no Canadá e na América do Sul e da expansão no Casaquistão.

A siderúrgica espera uma melhora no balanço já no segundo trimestre e vai procurar compensar o aumento dos preços das matérias-primas, repassando-os aos consumidores. A companhia está em negociações com seus clientes, entre eles as montadoras, sobre como será melhor fazer isso e como ajustar os contratos para coincidir com o novo sistema trimestral de preços do minério de ferro, afirmou o diretor financeiro Aditya Mittal. O minério de ferro é um componente importante da produção de aço.

A siderúrgica manteve sua perspectiva de que a demanda global por aço aumentará 10% em 2010, conduzida pelo crescimento dos mercados emergentes. A companhia disse que está elevando a capacidade de utilização para 80% no segundo trimestre do ano, ante os 72% do fim do primeiro trimestre.

"A recuperação econômica continua em linha com nossas expectativas, e 2010 deverá ser um ano mais forte para a ArcelorMittal", disse o executivo-chefe da companhia, Lakshmi Mittal. "O ano começou com uma melhora da demanda em todos os principais mercados, o que terá um impacto positivo no segundo trimestre." A siderúrgica alertou que a demanda total neste ano ainda deve ser 5% inferior ao pico de 2008, e que há riscos de um aperto na China.

Segundo a companhia, os preços das matérias-primas que entraram em vigor a partir de abril aumentaram 80% no ano e os custos da produção de aço subiram 130 euros (US$ 172) por tonelada, o que será sentido mais intensamente com o aumento da produção. A elevação dos custos terá um efeito maior sobre os ganhos no terceiro e quarto trimestres.

As três maiores mineradoras do mundo anunciaram nos últimos meses que concluíram a maioria de seus contratos em bases trimestrais, uma mudança na prática de longa data de usar a referência anual. As siderúrgicas reclamaram, por sua vez, que o novo sistema tornará os preços mais voláteis. / DOW JONES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.