Argélia acredita na manutenção da produção de petróleo

O ministro de Energia da Argélia, Chakib Jelil, previu nesta sexta-feira que a próxima reunião ministerial da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep), em junho, em Caracas, na Venezuela, não tomará decisões sobre o aumento ou a redução das cotas dos países exportadores."Minha opinião é de que devemos manter o teto fixado em março, em Viena, porque a situação do mercado não justifica uma alta ou baixa do nível de produção da Opep", afirmou, em declarações à rádio nacional argelina."Um aumento da produção inevitavelmente elevaria os descontos oferecidos por alguns produtores, da ordem de US$ 15, em relação ao preço do mercado", acrescentou.Jelil disse que, na sua opinião, o mercado precisa de mais estabilidade geopolítica "e de menos preocupação com riscos que pesam sobre esta ou aquela parte do mundo", numa referência implícita ao Irã."O certo é que o ambiente atual não favorece a estabilidade dos preços, e o menor fenômeno pode desembocar numa situação de pânico e instabilidade", ressaltou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.