Argélia pode restringir embargo à carne brasileira

A Argélia pode ter flexibilizado o embargo imposto desde o ano passado à carne bovina fornecida pelo Brasil. Rumores que circulam nesta quinta-feira em Brasília indicam que o país manterá a suspensão comercial para a carne bovina produzida em três estados: São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul - mesmo critério adotado pela União Européia. Desde outubro, a Argélia não compra carne bovina fornecida por todos os estados brasileiros em resposta aos focos de febre aftosa diagnosticados no Mato Grosso do Sul. Posteriormente, novos casos foram descobertos no Paraná, elevando para 40 o total de registros.MissãoEm novembro do ano passado, uma missão do Ministério da Agricultura esteve em Argel para tentar reverter o embargo. Nos encontros, os técnicos apresentaram informações sobre as medidas adotadas pelo governo do Brasil para controlar a doença. No total, 56 países suspenderam, de forma total ou parcial, as compras do Brasil devido aos problemas sanitários. Em 2005, a receita cambial obtida com as vendas de carne bovina para a Argélia somou US$ 75,860 milhões, mostram números da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec). A flexibilização do embargo ainda não foi desmentida ou confirmada pelo ministério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.