Argentina ameaça não aceitar acordo na Rodada Doha

O governo argentino se isola no Mercosul e decide ser o único do bloco a ser opor a um acordo na Organização Mundial do Comércio (OMC). "Do jeito que está na mesa, não aceitamos", afirmou o ministro de Relações Exteriores, Jorge Taiana. O chanceler Celso Amorim, que declarou há dois dias "solidariedade eterna" à Argentina, sabe que terá agora pouco tempo para convencer Buenos Aires a aderir ao pacote. O principal problema dos argentinos se refere à abertura do setor industrial para as importações. Buenos Aires acredita que a liberalização que está sendo proposta é exagerada e que vai afetar sua capacidade de manter sua indústria. "Temos várias reservas ao texto, algumas muito sérias", alertou Taiana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.