seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Argentina causou estragos nas contas de bancos espanhóis

A crise argentina continua causando enormes estragos nas contas dos bancos e empresas espanholas. Um levantamento feito pelo jornal financeiro Expansión mostra que a Argentina causou uma redução do valor patrimonial das grandes empresas espanholas e uma queda nos seus resultados no primeiro trimestre deste ano no total de ? 3,42 bilhões. Esse valor, somado às perdas do ano passado, eleva o impacto negativo da crise argentina nas corporações espanholas em mais de ? 12,3 bilhões.Empresas como Repsol-YPF, Telefónica e os bancos BBVA e Santander Central Hispano (BSCH) foram obrigados a realizar enormes provisões para cobrir as perdas de suas subsidiárias argentinas. A Repsol é aquela que sofreu o maior impacto negativo desde o início de 2001, ? 3,99 bilhões. Em seguida, vêm a Telefónica (? 2,88 bilhões), BSCH (? 2,06 bilhões), BBVA (? 2,03 bilhões) e Endesa (? 725 milhões). Além delas, há centenas de empresas espanholas de médio e pequeno porte com negócios na Argentina que também estão sofrendo com a crise naquele país.Analistas acreditam que caso o presidente Eduardo Duhalde não consiga fechar um acordo com o Fundo Monetário Internacional em breve, os espanhóis continuarão registrando pesadas perdas nos próximos meses. Isso se não decidirem abandonar o país.Mas as perdas não se limitam apenas aos balanços das corporações. As cotações das empresas e bancos espanhóis com forte exposição no mercado argentino vêm registrando um desempenho sofrível. Com isso, o índice da Bolsa de Valores de Madri, o Ibex caiu 5,33% desde o início deste ano.Leia o especial

Agencia Estado,

23 de maio de 2002 | 12h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.