Argentina contestará decisão italiana de congelar ativos

A Argentina, que entrou em default de uma dívida de US$ 141 bilhões em dezembro passado, informou na segunda-feira que vai contestar uma decisão de um tribunal italiano de congelar ativos estatais, disse a Secretaria de Finanças. A Secretaria informou em comunicado que vai "contestar a decisão vigorosamente", já que "não teve oportunidade" de apresentar sua defesa. Uma decisão adotada por um tribunal de Roma no fim de julho, em favor de detentores de bônus, pode resultar na apreensão de bilhões de dólares em ativos argentinos. A Argentina, que já foi o país emergente que mais vendeu bônus, repetidamente pediu a investidores italianos na última década que financiasse seu déficit orçamentário. Agora, cerca de 350 mil italianos detêm aproximadamente US$ 14 bilhões em bônus da Argentina, segundo a imprensa local. A Secretaria disse que "pretende se engajar num diálogo com os credores externos para chegar a um consenso a respeito da reformulação de seu endivadamento." A Argentina interrompeu o pagamento de sua dívida estrangeira após protestos antigovernistas afastarem o presidente Fernando de la Rúa, em dezembro. Desde então, o presidente Eduardo Duhalde tem lutado para conseguir ajuda multilateral. O governo até agora falhou em obter novos empréstimos do Fundo Monetário Internacional e apenas recentemente começou a fazer o pagamento de juros sobre US$ 42 bilhões de dívida de administradores de recursos locais, após os credores terem aceitado receber em pesos e não em dólares. As informações são da agência Dow Jones.

Agencia Estado,

30 de julho de 2002 | 15h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.