Argentina continua na presidência do Mercosul

O chanceler argentino Carlos Ruckauf confirmou hoje que seu país vai continuar na presidência rotativa do Mercosul durante o primeiro semestre deste ano. Ele concedeu uma pequena entrevista depois de tomar café da manhã no Itamaraty, em companhia dos ministros das Relações Exteriores Celso Lafer, da Fazenda, Pedro Malan, do Desenvolvimento, Sérgio Amaral e da Agricultura, Pratini de Moraes. Segundo Ruckauf, a Argentina vai consultar permanentemente os seus sócios do Mercosul. Ele acrescentou ainda que a intenção da Argentina é retomar a relação "fundamental com o Brasil". "Queremos que, na relação entre os sócios do Mercosul, não haja surpresas", fez questão de dizer o chanceler. Ele frisou que o ministro Celso Lafer terá "o telefone aberto" para obter informações sobre tudo que acontece na Argentina. E acrescentou: "escutaremos os conselhos do Brasil que sempre são muito importantes".O chanceler argentino disse ainda que seu país está solicitando uma atitude solidária neste momento de crise difícil e quer opiniões do Brasil para a saída dessa fase. "Vocês sabem que o Brasil teve uma crise importante e tem experiência para sair dela", afirmou. Ele acrescentou que a Argentina quer trabalhar com o Brasil tanto nos organismos multilaterais como nas relações com o mundo.Segundo Ruckauf, Brasil e Argentina concordaram em buscar novos mercados juntos, com os outros sócios do Mercosul, Uruguai e Paraguai. Ruckauf não quis fazer comentários sobre a possibilidade de um novo empréstimo junto ao FMI. Sobre o envio de remédios do Brasil à Argentina, o chanceler disse que foi um "gesto de amor" do Brasil.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.