Argentina convive com três tipos de câmbio

Pelo segundo dia consecutivo, o Banco Central conseguiu frear a subida do dólar livre e estabilizar sua cotação, que registrava 1,85 peso no meio da tarde. Porém, a intervenção do BC para evitar a disparada do dólar está provocando três diferentes cotações no mercado de câmbio livre, além do oficial de 1,40 peso por dólar. Cerca de 95% dos importadores e todos os exportadores têm acesso ao dólar oficial, fixado em 1,40. Agora, surgiu um mercado que está sendo chamado de semi-livre, no qual o dólar tem tido uma cotação média de 1,70. O BC vende dólares na praça por 1,65 e permite que os bancos os revendam com uma diferença máxima de cinco centavos para os pequenos varejistas, que precisam fazer longas filas para comprar um máximo de US$ 1 mil. As grandes empresas também podem comprar dos bancos uma quantia que varia de US$ 10 mil a US$ 20 mil dólares. Por último, há o dólar das casas de câmbio, livre para qualquer um que não tenha acesso aos bancos. Por isso, o mercado fala de três tipos de câmbio: o oficial, a 1,40; o do BC para intervenções, a 1,65 na terça-feira e 1,62 nesta quarta-feira, que fixa o dos bancos; e , por fim, o totalmente livre, que tem sido cotado entre 1,75 e 2,10.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.