Argentina cria estatal de energia

O Senado argentino aprovou na noite de quarta-feira a criação de uma empresa estatal de energia, confirmando a intenção do governo de Néstor Kirchner de modificar a política de abertura aplicada ao setor nos anos 90. A Energia Argentina Sociedade Anônima (Enarsa) terá 53% das ações do governo central, 12% da províncias (Estados) e 35% na Bolsa de Buenos Aires.A intenção do governo é competir num mercado atualmente dominado pelo setor privado após as privatizações adotadas pelo ex-presidente Carlos Menem (1989-99). Entre os estrangeiros presentes no mercado energético argentino está a Petrobras, que comprou, em 2002, 58,6% da Pecom Energia, por US$ 1,027 bilhão. O projeto aprovado impõe mudanças adotadas pela Câmara dos Deputados e aumenta o controle estatal e proíbe a privatização da empresa. A Enarsa poderá atuar em quase todos os ramos do setor energético, como petróleo, gás natural, energia elétrica e nuclear. Ela poderá ainda explorar, transportar, distribuir e vender energia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.