Argentina declara alerta máximo por aftosa no Brasil

O governo do presidente Néstor Kirchner declarou nesta quarta-feira o estado de "alerta máximo sanitário" em todo o país com a intenção de prevenir a entrada e disseminação da gripe aviária e a febre aftosa, em todo o território argentino. No entanto, será focalizado principalmente em diversos pontos da fronteira com o Brasil para tentar impedir a entrada da aftosa. A decisão foi tomada após a detecção de novos focos da doença no estado do Paraná.Os principais pontos de vigilância são as cidades que possuem passagens fronteiriças de Bernardo de Yrigoyen (na fronteira com a catarinense Dionísio Cerqueira), San Antonio (na divisa com a paranaense Santo Antônio), Andresito (Capanema, PR) e Puerto Iguazú (Foz de Iguaçu, PR). Na província de Misiones, na fronteira com o Brasil, a fiscalização está em estado de alerta total há vários dias.O Secretário de Agricultura da província, Alex Ziegler, declarou à imprensa que "a fronteira sempre esteve fechada ao tráfico de animais, sejam bovinos, suínos ou de outro tipo. O que nós vamos fazer agora é reforçar o trabalho para que essas normas sejam cumpridas". O governo da província também anunciou que criará um comitê de crise sanitária, que será coordenado pelo Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentícia (Senasa).No início da semana, o Senasa determinou a proibição de entrada na Argentina de carne bovina e seus derivados dos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo. Semanas atrás, o Senasa já havia aplicado a mesma proibição à carne proveniente do Mato Grosso do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.