Argentina desmente entrada de carne brasileira no país

O Serviço Nacional de Sanidade Agroalimentar (Senasa) desmentiu ontem à noite a entrada de carne brasileira no território argentino. A nota oficial foi provocada por uma série de informações veiculadas pela imprensa argentina de que um açougue de Buenos Aires estaria vendendo cortes de carne de origem do Brasil. "O Senasa verificou que se tratava de um equívoco originado em carne argentina destinada ao mercado brasileiro, que foi redirecionada ao mercado interno, a qual se comercializou com as caixas de exportação que levam impressa a bandeira do país de destino", explicou a nota. A reação do Senasa foi conseqüência da forte repercussão que houve ontem por uma denúncia de um consumidor de que um parente havia comprado o produto brasileiro, correndo o risco de estar contaminado por aftosa. Este consumidor enviou uma carta-denúncia ao jornal La Nación, que dizia que "na Argentina, a carne aumentou porque para os produtores os preços internos devem alcançar os valores de exportação. No entanto, entra do Brasil, criada no Brasil, abatida no Brasil e processada pela indústria frigorífica do Brasil". Proposta para reduzir preço Esta denúncia é contextualizada por uma proposta das entidades representativas do setor agropecuário, para que o Governo permita a importação de carne dos países vizinhos, como medida para baixar os preços domésticos do produto. Os provedores "naturais" dessa importação sugerida seriam o Brasil e o Paraguai, já que a maior parte da carne uruguaia é exportada para os Estados Unidos, e a produção da Bolívia é limitada. Porém, desde que a aftosa reapareceu no Mato Grosso do Sul, a importação da carne brasileira está proibida na Argentina.

Agencia Estado,

25 Novembro 2005 | 09h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.