Argentina deve crescer até 7% em 2008, afirma instituto

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todas as riquezas) argentino em 2008 estaria entre 6,5% e 7%, segundo estimativas do Instituto Argentino de Executivos de Finanças (IAEF). O crescimento seria levemente menor ao previsto para 2007, que estaria ao redor de 8,5%. Nos últimos cinco anos a Argentina registrou um crescimento anual de quase 9% do PIB, uma marca não registrada desde 1907.O IAEF considera que a alta volatilidade dos mercados financeiros internacionais e seu conseqüente efeito sobre as expectativas dos investidores e consumidores são um sinal de que a economia mundial sofrerá uma desaceleração ao longo de 2008, principalmente no primeiro semestre deste ano. Segundo o Instituto, essa conjuntura afetará a América do Sul, fato que levará as economias da região à uma moderação do crescimento.Segundo o relatório do IAEF, o crescimento dos depósitos bancários oscilou, nos últimos meses, entre 1,5% e 2% por mês. O aumento anual de 20% é considerado "um tanto inferior" ao nível que poderia ser esperado de uma economia com um ostensivo crescimento.Segundo o IAEF, o crescimento econômico em 2007 foi proporcionado pelo aumento do gasto público, o crescimento da receita dos assalariados, as taxas de juros passivas reais negativas e o considerável aumento dos empréstimos para o consumo. Estes mesmos fatores, segundo o Instituto, criaram o cenário para a escalada inflacionária que afeta o país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.