ERNESTO RODRIGUES/ESTADÃO
ERNESTO RODRIGUES/ESTADÃO

Argentina e Brasil trabalham juntos para fechar acordo entre Mercosul e UE, diz chanceler

Em declarações anteriores, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o bloco não seria prioridade para o governo brasileiro

Daniel Weterman e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2019 | 13h51

BRASÍLIA - O ministro das Relações Exteriores da Argentina, Jorge Faurie, declarou que o país está trabalhando em parceria com o Brasil para terminar a negociação do acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia, que se arrasta por duas décadas. 

"Estamos neste momento trabalhando para concluir em conjunto as negociações que temos levado adiante, que estão muito prontas, a primeira de todas é a de Mercosul e União Europeia. E temos que ir ver depois quais são as modalidades para seguir trabalhando em outros temas", afirmou o chanceler argentino após reunião de comitivas dos dois países no Palácio do Planalto.

Em declarações anteriores, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Mercosul não seria prioridade para o governo brasileiro. Nesta quarta-feira, 16, Bolsonaro defendeu um Mercosul "enxuto" que elimine burocracias. Perguntado sobre o posicionamento do presidente brasileiro em relação ao Mercosul, o chanceler argentino não quis comentar sobre o conteúdo do discurso de Bolsonaro. Apenas afirmou que os dois países concordam que a Venezuela – suspensa do bloco – precisa recuperar sua democracia.

Acordos

Brasil e Argentina assinaram nesta quarta-feira, 16, um novo tratado de extradição entre os dois países que dispensa a necessidade de trâmites diplomáticos para o envio de uma pessoa condenada ou processada ao território vizinho. Além desse acordo, Faurie afirmou que as nações seguirão em cooperação em áreas como o desenvolvimento de energia nuclear para fins pacíficos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.