Argentina eleva tarifa de exportação do biodiesel

A Argentina elevará a tarifa de exportação sobre o biodiesel de 2,5% para 20%, segundo resolução publicada hoje no Boletim Oficial. O governo já havia anunciado, ontem, mudanças nas alíquotas de exportação de grãos e derivados, com taxas variáveis de acordo com o valor das vendas. Segundo o ministro da Economia, Martin Lousteau, as novas cobranças valerão por quatro anos. A taxa sobre a exportação de soja será elevada de 35% para 46%, com base no preço de referência de US$ 538 por tonelada. Ainda de acordo com os preços correntes, o governo reduzirá a tarifa sobre o trigo, de 28% para 27%, e do milho, de 25% para 24%. Com o aumento dos impostos sobre a soja, o governo espera frear a rápida expansão do cultivo no país. "A soja compete diretamente com outros produtos que queremos estimular, como carne, leite e trigo", justificou Lousteau. "Queremos garantir o abastecimento interno de alimentos a preços acessíveis para as famílias argentinas", afirmou o ministro. As autoridades argentinas têm adotado várias políticas para controlar o aumento dos preços de carne, pão, leite e outros produtos básicos (commodities) em meio à escalada das cotações internacionais das commodities. Entre outras medidas, o governo limitou as exportações e promoveu tabelamento de preços. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.