Argentina estima crescimento de 3,5% no PIB

O Ministério de Economia da Argentina estima que o PIB do país no segundo trimestre deste ano tenha crescido 3,5% em relação ao mesmo período de 2002. O anúncio oficial será feito na próxima quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (Indec). Segundo o diretor nacional de Coordenação de Políticas Macroeconômicas, do Ministério de Economia, Jose Luis Maia, existe uma desaceleração na retomada do crescimento neste segundo trimestre, dentro das previsões da equipe econômica, "devido aos efeitos eleitorais que geraram incertezas, mas que são temporários". Nos primeiros três meses de 2003, o crescimento do PIB foi de 5,3%, "o primeiro aumento em quatro anos, e somado ao período abril-junho, projeta um crescimento de 4,4% para a primeira metade do ano", afirma Maia. Os números do segundo trimestre estão gerando polêmica no governo e também entre economistas e setor privado sobre um suposto "estancamento" da reativação da economia. Porém, Maia explica que nos últimos meses "se verifica um aumento do consumo privado e do investimento", como no caso das compras de maquinaria agrícola nacional e importada, sinalizando que a expansão agora "se faz com mais base no mercado interno e em menor medida nas exportações, como foi nos trimestres anteriores".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.