Argentina faz pagamento de US$ 550 mi em juros ao BID

O ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavgna, anunciou hoje que o país pagou US$ 550 milhões em juros ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e irá receber US$ 296 milhões da instituição durante as próximas seis semanas. Lavagna, sem fornecer detalhes, disse que o BID recebeu o pagamento dos cofres do governo argentino. "A Argentina está honrando suas obrigações", disse Lavagna à imprensa. Numa nota divulgada em Washington, o BID confirmou que vai desembolsar "quase US$ 300 milhões" para a Argentina durante as próximas seis semanas. Desse valor, cerca de US$ 196 milhões serão investidos em programas sociais e US$ 100 milhões serão aplicados em projetos já aprovados pelo BID. O BID e Lavagna disseram, separadamente, que a instituição multilateral vai liberar US$ 485 milhões à Argentina para ajudar a equilibrar as contas do governo e impulsionar o sistema bancário do país, quando a administração do presidente Eduardo Duhalde alcançar um novo acordo de crédito com o FMI. Lavagna não disse sobre quando ele espera que a Argentina assine um novo acordo com o Fundo. À tarde, o FMI havia confirmado a aprovação formal à prorrogação, por um ano, de um pagamento de US$ 985 milhões que a Argentina deveria fazer neste mês. As notícias do pagamento dos juros ao BID e a carência de um ano do FMI foram bem recebidas pelo Departamento do Tesouro dos EUA, em Washington. "Claramente, isso dará a Argentina algum espaço para respirar enquanto eles avançam para fazer progressos em seu programa econômico", diz a nota do Tesouro norte-americano. Para finalizar, Lavagna disse que o secretário do Tesouro dos EUA, Paul O´Neill, vai encontrar-se com Duhalde durante sua visita de um dia a Buenos Aires no final do mês.

Agencia Estado,

15 de julho de 2002 | 20h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.