coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Argentina pagará 50% a mais pelo gás boliviano

Como estava previsto, os presidentes Néstor Kirchner (Argentina) e Evo Morales (Bolívia) assinaram nesta quinta-feira o acordo sobre o aumento do preço do gás que a Argentina comprará da Bolívia a partir do dia 15 de julho. O aumento é de 56,25%, passando de US$ 3,20 para US$ 5 o milhão de BTU (unidade de medida para o gás). O volume também será maior, passando de 7,7 milhões de metros cúbicos diários para 27 milhões.Morales agradeceu o "esforço" realizado pela Argentina para aceitar o aumento no valor e afirmou que esse incremento significa "um alívio" para a Bolívia. Em discurso durante a solenidade de assinatura do acordo com o presidente Kirchner, Morales afirmou que a Bolívia está disposta a "aumentar os volumes da exportação de gás", e destacou que "seguramente" continuará negociado o valor do produto "com outros governos", numa menção às negociações com o Brasil.O presidente Kirchner, por sua vez, destacou "a grandeza e a generosidade" do diálogo que manteve com Morales "para solucionar temas que vão ajudar o crescimento" de ambos países. Kirchner destacou que acordos assinados com a Bolívia "significam investimentos em matéria energética da região" e representam "o primeiro passo para a construção do gasoduto do noroeste argentino, e para que se possa industrializar o gás na Bolívia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.