Argentina pagará US$ 9,7 bi em dívidas atrasadas

O Clube de Paris anunciou um acordo com a Argentina para pagamento das dívidas atrasadas em um prazo de cinco anos. O Clube de Paris representa governos de nações industrializadas.

AE, Agencia Estado

29 de maio de 2014 | 04h45

O acordo cobre atrasos que totalizam US$ 9,7 bilhões, conforme números de 30 de abril, informou o Clube de Paris, em comunicado.

Com isso, a Argentina normaliza as relações com os credores públicos e com as instituições financeiras internacionais após o calote de parte da dívida externa no fim de 2001.

O governo argentino ofereceu uma primeira reestruturação da dívida em 2005 e pagou a maior parte das obrigações com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Uma segunda reestruturação ocorreu em 2010.

Segundo o Clube de Paris, a Argentina irá retomar os pagamentos atrasados de modo "flexível", começando com um mínimo de US$ 1,15 bilhão a ser pago até maio de 2015. O próximo pagamento será em maio de 2016. A implantação do acordo pelo governo argentino será crucial, alertou o texto.

"A realização do pagamento inicial sob um compromisso formal da Argentina para liberar completamente os atrasos é um passo necessário e importante para a normalização das relações financeiras entre os credores do Clube de Paris e a Argentina", disse o comunicado.

O anúncio veio depois de dois dias de encontros com a delegação argentina, liderada pelo ministro da Economia, Axel Kicillof. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinaclube de pariscalote

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.