Argentina pode flexibilizar saques bancários

O ministro de Economia, Jorge Remes Lenicov, deverá anunciar hoje a flexibilização dos saques dos depósitos para as contas-salários e aposentadorias de mil para 1.500 pesos mensais. Com isso, o governo espera ganhar mais tempo contendo a ira da população que quer ter de volta seu dinheiro depositado no sistema financeiro. Apesar do semi-congelamento dos depósitos, o sistema já perdeu 2,2 bilhões de dólares desde que a medida foi adotada (em 30 de novembro de 2001) até 2 de janeiro passado.O semi-congelamento dos depósitos e aplicações também provocou uma transferência dos prazos fixos para contas corrente e poupança e aumentou a conversão dos depósitos em pesos para dólares. Conforme os números do Banco Central, no dia 30 de novembro o sistema financeiro contava com 22,088 bilhões depositados em pesos e 47,475 bilhões em dólares. Um mês depois do semi-congelamento ter sido implementado, o nível de dolarização dos depósitos subiu 2,24 vezes.Remes Lenicov afirmou que o governo pretende flexibilizar os depósitos, o mais rápido possível. Ele afirmou ainda que definirá o cronograma para liberar as poupanças e as aplicações em prazos fixos, na moeda de origem, e começando pelos depósitos de montantes menores.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.