Argentina pode propor perda de até 70% da dívida para credores

O governo argentino estaria disposto a propor uma perda de 70% da dívida aos credores externos durante as renegociações, e ainda pediriam uma extensão de 10 anos no prazo original da dívida. Seria uma perda mais alta que a do Equador, de 40%, e da Rússia, que foi de 33%, aproximadamente. Segundo matéria do jornal Ámbito Financiero, vários executivos de bancos estrangeiros, consultados pelo jornal, garantiram que esta oferta não será aceita e que a reestruturação da dívida diretamente será feita com o próximo governo. Por isso, todos os passos que o atual governo está dando no sentido de retomar as conversações com os credores visam somente cumprir uma das exigências do Fundo Monetário Internacional de reaproximação entre as duas partes. Para tanto, quando o acordo com o FMI for assinado, o ministro de Economia, Roberto Lavagna, deverá fazer uma licitação para designar o banco que atuará como assessor financeiro do governo, cumprindo assim, uma formalidade para reatar o diálogo com os investidores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.