Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Argentina prevê safra de soja 2011/12 em 44 mi t

A produção de soja da Argentina foi estimada em 44 milhões de toneladas na temporada 2011/12, ante o intervalo de 43,5 e 45 milhões de toneladas previstas em fevereiro, informou nesta quinta-feira o Ministério da Agricultura, em seu novo relatório mensal.

REUTERS

22 de março de 2012 | 15h23

A falta de chuvas entre dezembro e janeiro na Argentina, principal fornecedor global de óleo e farinha de soja, afetou a produtividade da safra e levou à redução da área semeada com a oleaginosa, que o governo calcula agora em 18,6 milhões de hectares, ante os 18,8 milhões de hectares previstos anteriormente.

Desta forma, a colheita de soja teria uma queda de 10 por cento sobre as 48,9 milhões de toneladas da safra anterior.

Os produtores argentinos já começaram a colheita da soja 2011/12.

MILHO

Já a safra de milho 2011/12 do país deve ficar em 21,2 milhões de toneladas, contra o intervalo de 20,5 e 22 milhões de toneladas projetadas no mês passado.

O número também marca um retrocesso ante 23 milhões de toneladas do ciclo anterior, 2010/11.

Os agricultores também já iniciaram a colheita dos 5 milhões de hectares cultivados com o milho, embora cerca de 670 mil hectares desta superfície deverão ser utilizados para pasto por conta de seu mal estado face à falta de precipitações, assinalou o ministério.

"As chuvas que caíram em fevereiro e março somente favoreceram os lotes implantados mais tarde e os de segundo plantio. Se estima que 1 por cento do milho está em estado muito bom -lotes com risco complementar- uns 36 por cento em bom estado, 38 por cento regulares e 26 por cento mal", disse.

Para o trigo, o governo manteve sua estimativa em 13,4 milhões de toneladas em 2011/12, cultura cuja colheita terminou no começo do ano.

(Reportagem de Maximiliano Rizzi)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSSAFRAARGENTINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.