Argentina quer US$ 8 bilhões do BID

O governo argentino começou as negociações para conseguir um programa de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por um total de US$ 8 bilhões. A intenção do Ministro da Economia, Martín Lousteau, é obter um programa até o ano 2011 com taxas menores às do mercado.Lousteau reuniu-se em Buenos Aires com o vice-presidente executivo do BID, Daniel Zelikow, para formalizar o pedido argentino de crédito desse organismo internacional. Antes de passar por Buenos Aires, Zelikow, que foi integrante do governo do ex-presidente Bill Clinton, esteve no Uruguai e Chile. Zelikow elogiou o andamento da economia argentina, o crescimento recorde das exportações do país e a redução da dívida pública.Atualmente a Argentina é o principal devedor do BID, que se transformou, nos últimos anos, em uma das maiores fontes de créditos para o país. Para o primeiro semestre deste ano a Argentina já conta com desembolsos de US$ 400 milhões por parte do BID. A dívida acumulada com o organismo internacional é de US$ 8,17 bilhões.Entre os projetos que contam com créditos aprovados pelo BID para a Argentina nos últimos anos estão a construção de novas linhas de distribuição de energia elétrica e de desenvolvimento do serviço sanitário de agricultura.Em 2003, o BID pactou um programa de US$ 5 bilhões até 2007. Estes créditos possuem prazo de 20 anos, prorrogáveis por outros 5 anos, com uma taxa de juros de 0,35 ponto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.