Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Argentina reclama de taxa zero para trigo

Os argentinos consideraram uma manobra política a decisão do Brasil de zerar a Tarifa Externa Comum (TEC) de 10% para a importação de 1 milhão de toneladas de trigo de países fora do Mercosul. "É uma medida política para derrubar nossos preços, mas o trigo argentino já é o mais barato do mundo, e eu quero ver o Brasil conseguir outro tão acessível", disse o tesoureiro da Associação Argentina Pró-Trigo, Raúl Maestre.Segundo ele, ontem, a cotação do trigo argentino era de US$ 370 a tonelada FOB, enquanto o americano estava em US$ 420 a tonelada. "Não há trigo agora para o Brasil em outro lado porque os Estados Unidos só vão fazer o grosso da colheita em junho." Ainda de acordo com Maestre, o único trigo mais barato que o argentino é o soft americano. "De qualidade inferior, que custa US$ 370, mas a esse valor é preciso agregar o frete dos EUA até aqui."Para ele, o Brasil deveria ter comprado trigo argentino "quando teve oportunidade, durante a reabertura dos registros", em novembro do ano passado. Naquele mês, em apenas três semanas os exportadores venderam 7 milhões de toneladas de trigo. Do total, o Brasil assegurou 3 milhões. As 4 milhões de toneladas restantes serão enviadas a países como Índia, Egito e Paquistão. "A tartaruga escapou das mãos do Brasil?, disse Maestre, em tom irônico. Para o tesoureiro da Associação Argentina Pró-Trigo, essa "lerdeza" teve o claro objetivo dos brasileiros de não convalidar o preço do trigo argentino. "É um sinal político de que há pessoas no Brasil que não se interessam pelo Mercosul." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2008 | 08h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.