Argentina reconhece que credores não querem troca de jurisdição de bônus

Argentina reconhece que credores não querem troca de jurisdição de bônus

Congresso deve aprovar o projeto de lei para contornar uma determinação de um juíz americano nesta quarta-feira

REUTERS

10 de setembro de 2014 | 07h51

A maioria dos credores da Argentina é contra seus bônus serem transferidos para uma nova jurisdição de acordo com proposta do governo que contornaria a determinação de um tribunal norte-americano que levou o país ao default, afirmou na terça-feira o ministro da Economia argentino.

O Congresso da Argentina deve aprovar o projeto de lei nesta quarta-feira. Mas isso fará pouca diferença se os investidores não concordarem, o que significa que a Argentina continuará em default até que sua batalha legal com os credores seja resolvida.

"Não é o desejo da maioria dos detentores de títulos, até onde eu sei, ter uma grande mudança na jurisdição", disse o ministro da Economia, Axel Kicillof, a comitês do Congresso.

A Argentina apresentou no mês passado um plano para fazer o pagamento de seus títulos externos localmente e oferecer aos credores a oportunidade de trocar seus bônus por outros sob a lei argentina ou francesa para contornar uma determinação que o impede de pagar sua dívida nos Estados Unidos.

(Por Alejandro Lifschitz)

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaCrisePIBEconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.