Argentina rejeita proposta das províncias

O governo central argentino não aceitou a contraproposta dos governadores de províncias para fechar as negociações em torno do pacto fiscal. Segundo assessores do ministério de Economia, a União não aceita a contraproposta dos governadores porque o governo ?não vai aceitar nenhuma proposta que não seja viável?. ?O ministro de Economia, Jorge Remes Lenicov, não está disposto a repetir os erros de seus antecessores, que assinaram coisa somente pela necessidade de apresentar um acordo firmado?, dizem.Os pontos de conflitos do acordo dizem respeito à pesificação das dívidas provinciais, que os governadores querem que seja feita na base do um a um, mas que o governo insiste em fazer a 1,40 peso por dólar. Também a continuidade da emissão de bônus provinciais, as moedas paralelas, proposta pelos governadores, é uma pedra no sapato do governo federal, porque o FMI já foi explícito ao sugerir que estas emissões sejam interrompidas. ?É preciso ver agora como seguem as negociações, mas, até o momento, não existem perspectivas de que o acordo seja fechado hoje?, dizem as fontes do ministério de Economia. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.