Argentina terá apoio, mas não dinheiro, da Alemanha

O chanceler alemão Gerhard Schroeder afirmou que a Alemanha está disposta a ajudar e a dar respaldo à Argentina. Porém, este apoio diz respeito somente às negociações com o Fundo Monetário Internacional e não chega à escala bilateral, como esperava o governo argentino. Schroeder desembarcou em Buenos Aires para uma visita de dois dias. Durante entrevista coletiva ao lado do presidente Eduardo Duhalde, o chanceler deixou claro que não é "partidário de negociações bilaterais neste contexto, independemente do país". "Faremos esforço nas negociações com o FMI", ratificou. Antes da reunião com o presidente Eduardo Duhalde, o chanceler alemão reuniu-se com o ministro de Economia, Jorge Remes Lenicov, com quem tratou de estabelecer uma agenda comercial bilateral e discutiu os termos gerais da rescisão do contrato realizado entre o Executivo e a empresa alemã Siemens para a confecção dos Documentos Nacionais de Identidade (DNI), similar à carteira de identidade brasileira.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.