finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Argentina torna obrigatória mistura de etanol à gasolina

De acordo com a decisão, a partir de 2010, todo o combustível vendido no país terá que conter 5% de álcool

ANA CONCEIÇÃO, Agencia Estado

13 de novembro de 2008 | 17h33

A partir de 2010, toda a gasolina vendida na Argentina conterá 5% de álcool, anunciou hoje o ministro de Planejamento, Julio De Vido. "O uso será obrigatório", disse, acrescentando que o porcentual da mistura poderá aumentar de acordo com a capacidade de produção no país."A medida levará a um aumento na produção de energia, maior diversidade à cadeia de fornecimento e à maior oferta de combustível", afirmou De Vido durante discurso no Ministério da Economia.A Argentina tem se esforçado nos últimos anos para produzir combustível suficiente para atender a uma demanda interna crescente. Uma lei de 2007 exigia que os consumidores usassem a mistura de 5% de etanol ou diesel a partir de 2010, mas o governo mudou a lei em favor do álcool produzido a partir da cana-de-açúcar. De Vido disse que a medida faz parte de um programa nacional de promoção dos biocombustíveis, que pretende aumentar a produção e o consumo de energias limpas e renováveis. O ministro do Planejamento, conhecido no país como o "czar" da energia, disse que o plano prevê investimentos privados de mais de US$ 500 milhões na produção de cana-de-açúcar nas províncias do norte argentino. Contudo, ele não forneceu mais detalhes.Segundo De Vido, a Argentina deve inicialmente produzir 300 milhões de litros de álcool por ano, volume que depois passará a 600 milhões de litros, mais que suficientes para atender a demanda a partir de 2010. O ministro explicou que um novo sistema de preços "irá garantir aos produtores de açúcar um lucro permanente e razoável", além disso, incentivos fiscais serão garantidos às companhias que investirem no setor. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
combustíveisgasolinaetanolArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.