Argentina volta a conversar com o Fundo em fevereiro

O ministro da Economia da Argentina, Jorge Remes Lenicov, afirmou nesta noite que no início de fevereiro começa a discutir com organismos internacionais, referindo-se sobretudo ao Fundo Monetário Internacional (FMI), a reestruturação da dívida externa argentina. O país decretou moratória no final de dezembro, pelas mãos do então presidente Rodriguez Sáa, e a decisão continua em vigor na atual administração.Lenicov afirmou, também, que na terceira semana de janeiro, será encaminhado o novo orçamento público nacional ao Congresso. Ele garantiu que a Argentina adotará uma forte austeridade fiscal, por meio da qual conseguirá manter câmbio e inflação sob controle. O governo também elaborará uma nova regra monetária para o país. Segundo o ministro, somente uma política monetária eficiente, unida a uma política fiscal austera e a um acordo com as empresas, impedirá uma explosão de preços naArgentina. O governo, afirmou, estar dialogando com supermercados, laboratórios farmacêuticos e Câmaras empresariais pedindo para que sejam solidários com o país no atual momento e evitem o aumento de preços. Ele admitiu, no entanto, que num primeiro momento os preços devem subir, mas o governo acredita que irão senormalizar a um valor razoável por conta da própria dinâmica de oferta e demanda. ?Nada justifica que a desvalorização impacte os preços?, finalizou o ministro.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.