Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Argentinos estão pessimistas sobre economia do país

Pelo terceiro mês consecutivo, mais da metade dos argentinos está pessimista sobre a situação econômica do país. Isso é o que mostra uma pesquisa realizada pela Escola de Economia da Universidade Católica (UCA) e a TNS Gallup, que sustenta que em julho 52% dos entrevistados definiram a situação econômica da Argentina como "ruim". Somente 13% dos argentinos afirmam que a situação econômica atual é "boa". Outros 34% sustentam que é "regular". A pesquisa também indica que o pessimismo é maior ainda no interior da Argentina, onde chega à faixa de 52%. O interior foi o cenário da crise do governo com o setor ruralista, que protagonizou quatro locautes em protesto contra a presidente Cristina Kirchner. O conflito, cujo pivô era a rebelião fiscal contra o "impostaço agrário" do governo, prolongou-se de março a julho e deixou marcas profundas na economia das províncias agrícolas. O consumo ficou paralisado durante quatro meses, e os investimentos estancaram.InflaçãoNo topo das preocupações dos argentinos sobre a situação econômica, a inflação alcança a pole position. Embora o governo da presidente Cristina Kirchner alegue que a inflação acumulada nos primeiros sete meses do ano é de 5%, economistas independentes e associações de defesa dos consumidores afirmam que estaria entre 15% e 20%. Segundo os economistas - além de lideranças dos partidos de oposição - o índice de inflação está sendo "maquiado" pelo governo. Uma pesquisa, realizada pela consultoria Ibarómetro indicou que 40,3% dos argentinos consideram que o homem adequado para combater a escalada inflacionária é o ex-Ministro da Economia, Roberto Lavagna. Apenas 14,9% dos pesquisados acham que o homem adequado é o atual ministro, Carlos Fernández.

ARIEL PALACIOS, Agencia Estado

21 de agosto de 2008 | 10h22

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinaeconomiapessimismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.