Argentinos se reúnem com subsecretário americano do Tesouro

O secretário de Finanças da Argentina, Guillermo Nielsen, e o presidente do Banco Central, Aldo Pignanelli, se reunirão hoje com o subsecretário do Tesouro norte-americano, John Taylor, para tentar abrandar as duras negociações com o Fundo Monetário Internacional. Ontem, em plena viagem da missão argentina a Washington, o porta-voz do organismo, Thomas Dawson, voltou a disparar amargas críticas à falta de consenso político na Argentina e disse que "a preocupação continua".Na agenda dos funcionários argentinos também está previsto um novo encontro com vários representantes do FMI. Na reunião que tiveram ontem com a número dois do Fundo, Anne Krueguer, e o responsável pelo caso argentino, John Thornton, Nielsen e Pignanelli confirmaram que o organismo quer um compromisso dos candidatos à Presidência, similar ao que fizeram os candidatos brasileiros, como condição prévia para assinar o acordo. Além disso, pediram um cronograma de liberação total do "corralito" e qual o futuro dos bancos.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.