Arrecadação cresce 11% e bate recorde em novembro

Contribuições federais somaram R$ 52,4 bi e foram impulsionadas pela abertura de capital da Bovespa

Fabio Graner e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

21 de dezembro de 2007 | 10h46

A arrecadação de impostos e contribuições federais foi de R$ 52,414 bilhões em novembro. O valor é 4,68% menor do que o verificado em outubro, mas 19,82% superior ao registrado em novembro de 2006. As duas variações são corrigidas pelo IPCA. O resultado é recorde para meses de novembro, segundo dados divulgados nesta sexta-feira, 21, pela Receita Federal.  Receita previdenciária foi de R$ 12,9 bi em novembro De acordo com a Receita, o resultado foi impulsionado pela abertura de capital da Bovespa, que resultou em uma arrecadação adicional de cerca de R$ 2 bilhões. O aumento em relação a novembro de 2006 também é explicado pela elevação de 232,08% no Imposto de Renda da Pessoa Física e de 67,78% no Imposto de Renda da Pessoa Jurídica.  No acumulado de janeiro a novembro, a arrecadação federal somou R$ 537,161 bilhões, montante 11,03% superior ao verificado em igual período de 2006. A variação também é corrigida pelo IPCA. A expansão na arrecadação da CSLL em novembro foi de 42,82% em relação ao mesmo período de 2006. O recolhimento de IPI subiu 18,74% e o Imposto de Renda retiro na fonte sobre rendimentos de capital foi de 15,03%. A arrecadação do IOF aumentou 14,24% e a Cofins 13,86%.  Fiscalização A Receita também atribui o aumento da arrecadação do acumulado no ano (de janeiro a novembro) principalmente ao desempenho da economia e ao efetivo trabalho da Secretaria da Receita Federal do Brasil, e da Procuradoria da Fazenda Nacional, na recuperação dos débitos em atraso e na manutenção do fluxo regular de arrecadação. Nesta sexta, a Receita ressaltou que nos últimos dois anos não houve aumento de alíquota de tributos. A arrecadação relativa a multas e juros teve aumento de 37%. Também destaca que aumentou em 50,86% a arrecadação proveniente da cobrança de depósitos judiciais e administrativos. No período de janeiro a novembro o imposto de importação cresceu 17,91% e o IPI vinculado às importações, 21,64%. A arrecadação de IPI automóveis cresceu 16,09%, em relação ao mesmo período do ano passado e do IPI-outros, 16,51%. A arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Física aumentou 50,89% no período, e do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), 17,88%. O recolhimento da CSLL cresceu 16,20% e do IOF, 10,76%.  Texto ampliado às 11h54 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.