Arrecadação da Receita acumula alta de 0,6% no ano

A arrecadação de impostos e contribuições federais administrados pela Receita Federal foi de R$ 23,393 bilhões em julho, uma queda real, com correção pelo IPCA, de 4,77% em relação a julho de 2002, porém um crescimento real de 19,47% na comparação a junho de 2003. No acumulado de janeiro a julho, as receitas somaram R$ 156,449 bilhões, apresentando crescimento de 0,6% sobre igual período de 2002.A queda da arrecadação em relação a julho do ano passado se deve, entre outros fatores, ao maior valor de receitas atípicas arrecadas naquele mês do ano passado. Contribuiu também a queda de 25,12% na arrecadação do Imposto de Importação (II) e de 38,71% na do IPI vinculado à importação. O IPI dos automóveis também teve queda (10,79%), o mesmo tendo ocorrido com o IPI de outros setores (11%). Por força de liminares concedidas pela Justiça, foi também registrada redução de 20,47% na Cide sobre combustíveis, afetando a arrecadação da receita no mês.O crescimento de 19,47% na arrecadação de impostos e contribuições federais em julho ante junho deste ano decorreu, segundo a Receita Federal, sobretudo do fato de que, em julho, foi paga a primeira cota ou cota única do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) referente ao trimestre encerrado em junho. Também ajudou o fato de julho ter tido cinco semanas contra quatro em junho. Esse fato tem uma influência positiva nos tributos com arrecadação semanal, tais como o Imposto de Renda retido na fonte, o IOF e a CPMF. A primeira arrecadação do novo Refis (parcelamento especial da Receita), no valor de R$ 200 milhões em julho, contribuiu igualmente para o aumento da arrecadação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.