Arrecadação da Receita em janeiro é recorde para o mês

A Receita Federal iniciou 2007 com mais um recorde na arrecadação de impostos e contribuições federais. Dados divulgados nesta quinta-feira, 15, pela Receita informam que a arrecadação em janeiro somou R$ 38,577 bilhões, valor recorde para o mês. O resultado representa um crescimento real, descontada a inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 10,51% ante janeiro de 2006 e uma queda real de 1,68% ante dezembro. A arrecadação de dezembro foi a maior da história da Receita para todos os meses e somou R$ 39,237 bilhões (já corrigido pelo IPCA).A recuperação de débitos em atraso e a maior antecipação de pagamentos pelas empresas, relativos à declaração de ajuste anual do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) impulsionaram a arrecadação da Receita Federal no mês passado. De acordo com os dados, entraram para os cofres do governo R$ 748 milhões referentes à recuperação de débitos em atraso: R$ 595 milhões do IRPJ e R$ 153 milhões da CSLL. A antecipação de pagamentos da declaração do ajuste anual do IRPJ em janeiro somou R$ 670 milhões, ante R$ 309 milhões do mesmo mês de 2006. As empresas também anteciparam o pagamento da Contribuição Social sobre o Lucro Liquido que somou R$ 215 milhões. Em 2006 o pagamento antecipado foi de R$ 86 milhões. A declaração do ajuste anual é feita em abril e algumas empresas preferem antecipar o pagamento. Esse dinheiro a mais garantiu um aumento real de 21,20% na arrecadação do IRPJ, em janeiro de 2007 anti o mesmo período do ano passado, e de 10,71% da CSLL. As receitas administradas pela Receita Federal somaram em janeiro R$ 35,859 bilhões e as demais receitas (taxas e contribuições controladas por outros órgãos), R$ 2,719 bilhões. A arrecadação das Receitas Previdenciárias cobradas pelo Ministério da Previdência Social somou em janeiro R$ 11,302 bilhões, com crescimento real de 11,63% ante o resultado de janeiro de 2006. Ante dezembro de 2006, as Receitas Previdenciárias caíram 36,54%. Essa queda, porém, é sazonal, já que no último mês do ano é recolhido o tributo sobre o 13º salário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.