Arrecadação de R$ 51 bi de imposto em março é recorde

A arrecadação de impostos e contribuições federais de R$ 51,001 bilhões em março foi recorde para meses de março, segundo a série histórica da Receita Federal. Pelos dados divulgados hoje, os fatores que mais contribuíram para esse resultado foram a arrecadação do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que cresceu 161,49% em relação a março de 2007 e somou R$ 1,667 bilhão.A arrecadação do Imposto de Importação teve um crescimento de 10,73% em relação a março de 2007, e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) vinculado às importações subiu 7,25%. A arrecadação do IPI de veículos teve uma alta de 43,86% em razão do aumento no volume de vendas de automóveis no mercado interno. A arrecadação do IPI sobre o fumo avançou 49,40%, enquanto o IPI sobre outros produtos teve crescimento de 28,97%.A arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Física subiu 27,66% na comparação com março de 2007, enquanto o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica cresceu 14,43%. No entanto, houve uma queda de 1,82% na arrecadação da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) em razão da redução dos depósitos judiciais, que em março de 2007 foram de R$ 186 milhões e, em março deste ano, somaram apenas R$ 43 milhões. Já a arrecadação da Cofins em março subiu 14,63% e do PIS/Pasep, 13,79%.Receita previdenciáriaDa arrecadação total de R$ 51,001 bilhões em março, R$ 13,363 bilhões são receitas previdenciárias, segundo a Receita Federal do Brasil. A arrecadação previdenciária teve um crescimento real de 1,03% em relação a fevereiro deste ano e de 9,72%, na comparação com março de 2007. No acumulado do primeiro trimestre, a receita previdenciária soma R$ 40,307 bilhões, alta real de 12,99% em relação ao mesmo período de 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.