Arrecadação de setembro interrompe série de recordes

Diferentemente dos meses anteriores, a arrecadação da Receita Federal em setembro não foi recorde para o mês. O resultado interrompeu a trajetória de recordes que a Receita obteve seguidamente em todos os meses desse ano. Para o secretário-adjunto da Receita Federal, Ricardo Pinheiro, o resultado, porém, não sinaliza uma desaceleração do ritmo de crescimento da economia.Pinheiro explicou que a arrecadação do mês passado só perde para a de setembro do ano passado, quando houve uma pagamento atípico de tributos em atraso pelos fundos de pensão."Em setembro de 2002, houve um ponto de concentração de arrecadação, porque terminou o prazo para o pagamento dos Fundos de Pensão", disse Pinheiro. Só um único fundo de pensão, a Previ, pagou naquele mês R$ 1,8 bilhão à Receita de impostos atrasados. Segundo o secretário, o resultado de setembro da arrecadação foi bastante positivo e refletiu mais uma vez o crescimento da economia brasileira. Na sua avaliação, as mudanças introduzidas pela Receita na legislação tem "minimizado" o espaço para evasão tributária. "O desempenho da arrecadação nos parece satisfatório. Não apenas pelo valor absoluto, mas principalmente porque é resultado de qualidade na medida que decorre da melhoria da economia do País", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.