Arrecadação de tributos federais é recorde em setembro

Em meio ao forte debate sobre se há ou não espaço para o governo reduzir a alíquota da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), a arrecadação da Receita Federal em setembro totalizou R$ 48,480 bilhões, recorde para o mês. No acumulado de janeiro a setembro, a arrecadação ficou em R$ 429,967 bilhões, com um crescimento de 9,94% acima da inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Em valores nominais, o crescimento da receita no ano chegou a R$ 51,877 bilhões, superior à arrecadação de R$ 39 bilhões prevista para a CPMF no ano que vem.O secretário-adjunto da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, disse que a trajetória de crescimento da arrecadação entrou em fase de estabilização. Ele destacou que, de janeiro a setembro, a expansão das receitas, na comparação com igual período de 2006, foi de 11,14%. Em agosto, o crescimento acumulado no ano estava em 11,86%.Barreto enfatizou que o crescimento da receita é de boa qualidade, já que é sustentado pela expansão da atividade econômica e pelo aumento da lucratividade das empresas. Este desempenho, segundo ele, é resultado das medidas de desoneração dos investimentos tomadas pelo governo no passado.

FABIO GRANER E GUSTAVO FREIRE, Agencia Estado

18 de outubro de 2007 | 20h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.