Arrecadação do FGTS cresce desde meados de 2003

O presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Mattoso, informou hoje que a arrecadação das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) tem apresentado crescimento desde meados do ano passado, mas ele não quis comentar a possibilidade dos recursos serem destinados para investimentos em infra-estrutura.Ele também não quis dizer se será possível antecipar o pagamento das parcelas das correções dos saldos durante os Planos Bresser e Collor. "O Conselho Curador do FGTS e o governo federal decidem sobre isso, não a Caixa", disse.Mattoso comemorou o desempenho das aplicações em caderneta de poupança em maio. Até o dia 25, a captação na Caixa foi de R$ 775 milhões e, no acumulado dos cinco do ano, atingiu R$ 638 milhões. O saldo no final de maio era de R$ 45,3 bilhões, enquanto o mercado brasileiro soma R$ 145 bilhões. Para ele, a instabilidade no mercado de fundos "acentua e acelera" a transferência dos recursos dos fundos para a poupança, mas não é o único fator para o crescimento. "Além de segura, a poupança passa a ser rentável, sobretudo para o poupador com recursos até R$ 500", afirmou. Além disso, a poupança não paga imposto nem taxa de administração, como acontece com os fundos. "Não vemos canibalização entre indústria de fundos e poupança", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.