Arrecadação do FGTS pode fechar 2004 com recorde

O crescimento do emprego formal e o início da recuperação da renda dos trabalhadores já está se refletindo nas contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A arrecadação líquida (depósitos menos retiradas) do FGTS de janeiro a setembro deste ano já é 30% superior a do mesmo período do ano passado, e o ano pode fechar com um recorde histórico. De acordo com os dados da Caixa Econômica Federal, nos primeiros nove meses deste ano a arrecadação do FGTS, já descontado o saque feito pelos trabalhadores, atingiu R$ 4,194 bilhões. No mesmo período do ano passado a arrecadação líquida tinha ficado em R$ 2,863 bilhões. Mesmo levando em conta que os saques verificados no mês de setembro foram afetados pela greve dos bancários e, por isso, caíram em cerca de R$ 449 milhões em relação ao mês anterior, o desempenho das contas do FGTS em 2004 é surpreendente. "A arrecadação do fundo deve bater um novo recorde este ano", disse um técnico da Caixa. Ele argumentou que mais recursos em caixa significa mais disponibilidade para aplicação em habitação e saneamento básico. Em 2004 o orçamento do FGTS para aplicação nos diversos programas de financiamento à casa própria, infra-estrutura e saneamento básico quase que dobrou em relação ao ano anterior, alcançando R$ 7,45 bilhões. Os números do FGTS, segundo os técnicos, comprovam que o cenário econômico está mais favorável. Nos nove meses de 2003, a arrecadação bruta foi de R$ 18,224 bilhões, com os saques atingindo R$ 15,360 bilhões. De janeiro a setembro deste ano a arrecadação bruta já ultrapassa R$ 20,679 bilhões, enquanto que os saques estão em R$ 16,484 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.