André Dusek/AE
André Dusek/AE

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Arrecadação em 2009 deve ser R$ 50 bi menor que a prevista

Segundo o ministro Paulo Bernardo, redução será resultado de queda nas receitas e desonerações do governo

Jacqueline Farid e Adriana Chiarini, da Agência Estado,

19 de maio de 2009 | 16h34

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse nesta terça-feira, 19, que a estimativa é de que a arrecadação do governo em 2009 será R$ 50 bilhões menor do que os R$ 800 bilhões inicialmente esperados. "São quase 7% a menos", disse. Segundo ele, "a forte queda de arrecadação em 2009" é provocada não apenas pela redução de receita com tributos mas também por desonerações determinadas pelo governo.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

O ministro também mandou um recado para os que criticam a manutenção de gastos do governo na crise. "É muito tosco achar que só cortar gastos vai resolver problemas de um País como o nosso", afirmou.

 

Segundo Bernardo, o País vai sair da crise mais forte do que entrou. "Consideramos que a crise não interrompeu o processo de desenvolvimento do País. O Brasil não ajudou a criar o problema, mas é parte da solução. A crise pode ser uma oportunidade. O País pode sair mais forte da crise do que entrou", disse ele em palestra no XXI Fórum Nacional, realizado na sede do BNDES.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.