Arrecadação em maio é de R$ 27,094 bilhões

A arrecadação de impostos e contribuições no mês de maio atingiu R$ 27,094 bilhões, um crescimento de 2,02% em relação a maio de 2004, mas uma queda de 15,61% ante abril de 2005, corrigida pelo IPCA. As receitas no acumulado de janeiro a maio somam R$ 144,145 bilhões, um crescimento de 5,24% em relação ao mesmo período de 2004. Os recursos administrados pela Receita Federal chegaram a R$ 26,141 bilhões em maio, 3,15% maiores que os de maio de 2004. No entanto, esse valor é 11,91% menor que a arrecadação de abril de 2005. No acumulado em janeiro a maio, a receita administrada soma R$ 136,513 bilhões, 6,06% maior que o mesmo período de 2004 . RecordeA arrecadação em maio, de R$ 27,094 bilhões, é recorde para meses de maio segundo a série histórica da Receita Federal. O último melhor resultado foi registrado em maio de 2004, quando atingiu R$ 26,558 bilhões.Segundo relatório divulgado hoje pela Receita Federal, o resultado de maio em relação a abril é normalmente negativo, em decorrência de efeitos sazonais, como o pagamento em abril da primeira cota ou cota única do imposto de renda pessoa física, do imposto de renda pessoa jurídica e da CSLL, os dois últimos referentes à apuração o primeiro trimestre do ano. Quanto às demais receitas (taxas e contribuições controladas por outros órgãos, excluídas as contribuições previdenciárias), houve uma redução de 21,49% em maio na comparação com maio de 2004. Essas receitas somaram R$ 953 milhões. Em relação a abril, esse valor é 60,80% menor. No acumulado de janeiro a maio, essas receitas totalizam R$ 7,631 bilhões, um resultado 7,56% menor que o de janeiro a maio de 2004. A queda verificada em maio para as demais receitas, segundo o relatório da Receita Federal, deve-se ao pagamento trimestral de royalties relativos à extração de petróleo que acontece no mês de abril. Aumento em maio, sobre maio/04, se deve à arrecadação do I.R. e CSLLO aumento na arrecadação em maio na comparação com maio de 2004, segundo relatório da Receita, deve-se ao crescimento de 31,09% na arrecadação do imposto de renda da pessoa jurídica e de 15,64% da CSLL. Segundo a Receita, os setores que mais contribuíram para esse crescimento foram extração de minerais metálicos; captação, tratamento e distribuição de água; fabricação de celulose e papel; e eletricidade. Ainda houve uma arrecadação atípica no setor de metalurgia básica relativa ao balanço trimestral no valor de R$ 138 milhões. O aumento na arrecadação também se deve ao um aumento de 7,12% no recolhimento de IPI de automóveis e de 17,07% no IPI para os demais produtos industriais. Segundo a Receita, esse crescimento na arrecadação do IPI se deve ao aumento de 15,8% das vendas de automóveis no mercado interno e ao crescimento de 6,3% na produção industrial em abril de 2005, o mês gerador do imposto que é recolhido em maio. A arrecadação de IOF subiu 17,53% devido a um aumento de 20,7% do volume de créditos referentes às pessoas físicas e jurídicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.