Arrecadação faz Governo Central ter superávit de 4,2% do PIB

As contas do Governo Central (Tesouro, Previdência Social e Banco Central) fecharam o primeiro semestre com um superávit primário de R$ 34,179 bilhões, o equivalente a 4,26% do PIB. No mesmo período do ano passado, o resultado foi de R$ 29,289 bilhões, ou 4,05% do PIB. O Tesouro reconhece, em nota, que o bom resultado foi fortemente influenciado pelo aumento da arrecadação de tributos. Em junho, o Governo Central registrou um superávit primário de R$ 5,533 bilhões. As contas do Tesouro contribuíram para esse desempenho com um superávit primário de R$ 7,146 bilhões. A Previdência Social teve um déficit primário de R$ 1,585 bilhão; e o Banco Central obteve um déficit de R$ 27 milhões em junho.O resultado de junho deste ano (R$ 5,533 bi) é bem superior ao registrado em junho de 2003, de R$ 760,4 milhões. As contas também são melhores do que as de maio passado, quando apresentaram um superávit primário de R$ 3,724 bilhões.O superávit primário de junho, destacou o Tesouro, ocorreu apesar do pagamento das restituições de tributos federais ter sido o maior volume desde 1997, de R$ 2,4 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.