Arrecadação federal cai na comparação com 2002

A Receita Federal arrecadou em outubro R$ 25,568 bilhões em impostos e contribuições. As receitas administradas somaram R$ 23,665 bilhões e as demais receitas R$ 1,903 bilhão. O valor arrecadado em outubro ficou 20,02% superior, em termos reais, ao apurado em setembro. Esse valor, entretanto, está 6,24% abaixo do apurado em outubro de 2002. De janeiro a outubro de 2003 a arrecadação federal somou R$ 223,017 bilhões, que representou uma queda real de 3,23% em relação ao arrecadado no mesmo período de 2002. Retomada da atividade aparece na arrecadação da CofinsA retomada da atividade econômica, já observada em outros indicadores, aparece no resultado da arrecadação federal. O dinheiro apurado com a cobrança da Cofins, por exemplo, foi de R$ 5,466 bilhões em outubro, o que representa um aumento real de 9,18% em relação ao arrecadado em setembro. A Cofins é um bom indicador de desempenho econômico uma vez que ela incide sobre o faturamento das empresas. Portanto, um aumento na arrecadação dessa contribuição reflete o crescimento do faturamento das empresas no País. Efeitos sazonais pesam no aumento da arrecadação sobre mês anteriorUma série de efeitos sazonais explica, em boa medida, o aumento real de 20,02% da arrecadação federal de outubro ante setembro deste ano. Um desses efeitos foi o pagamento no mês passado da cota única ou primeira cota do Imposto de Renda das empresas e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), que são tributos apurados trimestralmente. A arrecadação com o IRPJ, por exemplo, cresceu 63,31% em consequência desse pagamento trimestral. A CSLL, por sua vez, registrou um aumento de a rrecadação de 44,76%.Outro fator que contribuiu para esses aumentos foi o recolhimento de depósitos judiciais. Em outubro, a Receita apurou por meio desse mecanismo R$ 904,2 milhões, ante R$ 141,4 milhões em setembro. O maior número de semanas no mês passado também ajudou no aumento da arrecadação de tributos com recolhimento semanal, caso da CPMF, do IOF e do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF). A arrecadação feita por meio do imposto do cheque subiu, em termos reais, 25,62%, passando de R$ 1,735 bilhão para R$ 2,180 bilhões. No caso do IOF o aumento foi de 17,82% e no IRRF de 15,90%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.