Arrecadação para previdência privada cai no semestre

As contribuições para os planos de previdência complementar caíram 5,3% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2004 - entre janeiro e junho, foram arrecadados R$ 8,1 bilhões, diante dos R$ 8,6 bilhões acumulados no ano passado. Os dados foram divulgados hoje pela Associação Nacional da Previdência Privada (Anapp), entidade que reúne as seguradoras do setor.No semestre, entre os produtos, os planos do tipo Vida Gerador de Benefícios Livres (VGBL), em que o Imposto de Renda incide apenas sobre o ganho de capital, lideraram o ranking da captação, com R$ 4,3 bilhões, seguidos pelo Plano Gerador de Benefícios Livres (PGBL), em que é permitido o abatimento das contribuição na declaração de ajuste anual.Nos primeiros seis meses do ano, os planos PGBL captaram R$ 1,9 bilhão, o que representa uma queda de 17,7% em relação aos R$ 2,4 bilhões arrecadados em 2004. Os planos tradicionais, em que não há o repasse integral das rentabilidade ao participante, apresentaram alta de 2,63% nas contribuições. No semestre foi arrecadado R$ 1,8 bilhão, comparado ao R$ 1,7 bilhão obtido no mesmo período em 2004.Análise mensalNa comparação mensal, no entanto, houve um crescimento de 20% no volume de contribuições ao sistema de previdência privada. Em junho, foi captado R$ 1,6 bilhão, enquanto em maio a arrecadação foi de R$ 1,3 bilhão.Para Osvaldo Nascimento, presidente da Anapp e diretor executivo da Itaú Vida e Previdência, a elevação indica que o mercado está retomando a trajetória de crescimento, interrompida momentaneamente por causa das indefinições quanto ao regime tributário e prazos de adesão, ocorrida entre janeiro e maio deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.