finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Arrecadação soma R$ 65 bi em outubro e bate recorde

Montante é 17% superior ao registrado em setembro e 12,36% maior do que o verificado em outubro de 2007

Renata Veríssimo e Fabio Graner, da Agência Estado,

19 de novembro de 2008 | 14h45

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou em outubro R$ 65,493 bilhões, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 19, pela Receita Federal. O valor é recorde para meses de outubro. O montante é 17,13% superior em termos reais ao volume registrado em setembro e 12,36% maior do que o verificado em outubro de 2007. O resultado superou o teto das previsões dos analistas consultados pela Agência Estado (R$ 62,1 bilhões) e foi influenciado pelo recolhimento de royalties relativos à extração do petróleo.     As receitas administradas pela Receita Federal em outubro somaram R$ 60,489 bilhões, montante 9,63% superior ao registrado em outubro de 2007 e 10,82% acima do valor de setembro. As demais receitas somaram R$ 5,004 bilhões, com alta real de 276,16% ante setembro e 60,69% maior do que registrado em outubro do ano passado. A Receita Federal explicou que a forte alta na arrecadação das demais receitas em outubro se deveu ao recolhimento de royalties relativos à extração do petróleo. De janeiro a outubro, as demais receitas somaram R$ 23,455 bilhões, com elevação real de 40,91% perante igual intervalo do ano anterior.  No acumulado do ano até outubro, a arrecadação federal soma R$ 564,718 bilhões, com alta real de 10,33% ante igual período de 2007. Segundo a Receita, a arrecadação proveniente do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) teve uma queda real de 8,92% em relação a outubro de 2007. No entanto, a queda se deve a uma arrecadação atípica que ocorreu no mesmo mês de 2007, decorrente de ganhos de capital na alienação de bens e de operações em bolsa.  Arrecadação de IOF cresce 142% Apesar da escassez de crédito no mercado financeiro no mês de outubro, a arrecadação do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) teve um crescimento real de 142,07%, em relação a outubro de 2007. O volume das operações de crédito para pessoas físicas cresceu 28,85%, totalizando R$ 585 milhões, ante R$ 246 milhões, em outubro de 2007. Isso representa um aumento na arrecadação do IOF, nestas operações, de 137,19% no período.  O volume das operações de crédito para a pessoa jurídica cresceu 44,32% somando em outubro R$ 644 milhões, ante R$ 270 milhões em outubro de 2007. Com isso, o aumento da arrecadação de IOF nas operações de crédito pessoa jurídica cresceu 138,54%, ante outubro do ano passado.  Já o IOF sobre operações de câmbio (saída e entrada de moeda) totalizou R$ 237 milhões em outubro, ante R$ 16 milhões em outubro de 2007. O total da arrecadação de IOF no mês foi de R$ 1,723 bilhão, ante R$ 712 milhões em outubro de 2007. Empresas impulsionam arrecadação Segundo a Receita Federal, os impostos relacionados à lucratividade das empresas continuam impulsionando a arrecadação. As receitas com Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) tiveram um crescimento real de 26,76% em relação a outubro de 2007 e da Contribuição Social sobre o lucro Líquido (CSLL) cresceram 20,77%.  A arrecadação da Cofins teve uma expansão de 16,20% e do PIS-PASEP, de 16,99%. O IPI automóveis subiu 11,75% no período. O Imposto de Renda Retido na Fonte sobre rendimentos de capital teve uma elevação de 55,39%, em função do aumento do resgate de aplicações em renda fixa e das operações de swap. A arrecadação com o IRRF totalizou R$ 2,261 bilhões, em outubro passado, ante R$ 1,445 bilhão, em outubro de 2007. O IRRF sobre rendimentos do trabalho cresceu 13,93%, no mesmo período. 

Tudo o que sabemos sobre:
Receitaarrecadaçãoimpostos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.