George Frey/Bloomberg via The Washington Post - 11/1/2022
George Frey/Bloomberg via The Washington Post - 11/1/2022

As possibilidades, que já eram gigantescas, serão potencializadas com o 5G

Com a internet das coisas (IoT), em todo e qualquer setor os ganhos de segurança serão gigantescos

Denis Coté*, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2022 | 04h00

Com o recente leilão do 5G realizado com sucesso pelo governo federal, a internet das coisas (IoT) começa a se tornar uma realidade. De acordo com pesquisa da Gartner, em 2023, cerca de 43 bilhões de dispositivos no mundo devem estar conectados. O número mostra que teremos um mar de oportunidades e que as pessoas e as empresas sofrerão uma transformação em suas vidas.

E isso vale para qualquer setor. Imagine, por exemplo, nos supermercados, local que faz parte da rotina de parcela significativa da população. A experiência de consumo mudará. De seu smartphone, as pessoas poderão verificar quais locais contam com seus produtos favoritos, comparar preços de maneira mais ágil e facilitar entregas e retiradas porta a porta.

Já do lado da empresa será possível monitorar a distância se as luzes ficaram acesas depois do expediente, bem como monitorar a temperatura de geladeiras e freezers para evitar a perda de alimentos. Além disso, será possível aperfeiçoar a verificação dos estoques e, por consequência, a gestão de compras e a logística entre centros de distribuição e lojas.

O mesmo ocorrerá no setor de transporte: os carros autônomos tendem a ser realidade em um futuro próximo. No metrô, as condições e a segurança dos trilhos e a detecção de obstáculos poderão ser verificadas com mais facilidade, antecipando a previsão de problemas. No campo da saúde, consultas e até mesmo cirurgias poderão ser feitas de forma remota e com muito mais assertividade.

Em todo e qualquer setor, os ganhos de segurança com a internet das coisas serão gigantescos, com a automatização de sensores, a verificação facial a distância e a comunicação mais ágil e eficiente. Isso sem falar no aprimoramento dos reportes, que tornarão mais fácil e rápido o acionamento de sensores para incidentes, mostrando exatamente o local em um determinado mapa, com procedimentos guiados das operações e respostas registradas automaticamente. Em outras palavras, a automatização se tornará muito mais confiável.

Outro impacto real com a implementação da internet das coisas é o financeiro. Com melhor controle do uso e da eficiência dos equipamentos, seja em residências ou empresas, reduzirá de forma expressiva os custos.

Ou seja, as possibilidades, que já eram gigantescas, serão potencializadas e implementadas de fato com o 5G. Isso vale para todas as formas de interação: entre empresas, consumidores com empresas, consumidores com outros consumidores e também de empresas e consumidores com os objetos e coisas.

*VICE-PRESIDENTE DA GENETEC PARA AMÉRICA LATINA E CARIBE

Tudo o que sabemos sobre:
internetinternet das coisas5G

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.