Ásia fecha em baixa contaminada pelo Nasdaq

A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão em queda acentuada, completando três dias seguidos em baixa, após o declínio de 4,39% do índice Nasdaq, 6ªF, ter gerado uma onda de insegurança. O mercado também foi pressionado por vendas de posições tomadas para hedge, em razão da suspensão, por motivos técnicos, das operações dos futuros do índice Topix e dos títulos do governo na sessão matutina. A bolsa caiu 318,11 pontos (-2,3%), encerrando em 13.385,52 pontos. O índice não fechava abaixo de 13.500 pontos desde 12 de janeiro. A NTT DoCoMo voltou a ser destaque, com as expectativas sobre a divulgação do preço da oferta de ações da empresa. O anúncio só saiu após o fechamento do mercado. Durante a sessão, as ações caíram 1,4%, acumulando sete pregões consecutivos em baixa. Restante da Ásia - O único pregão que conseguiu sustentar-se no positivo foi o da Indonésia, enquanto o pior desempenho ficou com a Coréia do Sul, que perdeu 4,81%, com os investidores estrangeiros optando por realizar lucros na sessão. O índice Kosdaq, do mercado de balcão sul-coreano, derreteu 5,67%. Na Indonésia, a bolsa somou 1,54%, com as compras de blue chips por investidores locais contrabalançando as pressões negativas. As vendas de ações de telecomunicações e tecnologia lideraram a queda do índice Hang Seng, benchmark do pregão de Hong Kong, que perdeu 1,49%. Na Malásia, a bolsa recuou 0,58%. No pregão de Bangcoc, a perda foi de 1,50%. Em Taipé, baixa de 1,93%. Em Cingapura, a bolsa desvalorizou-se 1,17%. Nas Filipinas, queda de 1,04%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.